Amor sempre....

Amor sempre....
Caminho entre flores. O chão continuará pra nós com outras paisagens. Sou o que sou, porque é tudo que sei ser. E todo meu olhar escrito que você nunca aprendeu a ler, permanecerá no descaso para quem não compreende.

sábado, 30 de dezembro de 2017

Refletindo




Então olha só ele, Ano Novo!
Vem desconhecido, quase se aconchegando nas nossas vidas.
O patrimônio que ele nos trará de bom ou ruim é o envolvimento que cada um possa lhe oferecer também. Então que venha cheio de bênçãos e perspectivas mais preciosas.
Fico refletindo no ano que está terminando, e sabe? Há tantas coisas para agradecer e outras para refletir como um grande aprendizado.
No entanto rogo a Deus a harmonia e que o amor, verdade, honestidade, caridade, compaixão, venham de mãos bem unidas com ele.
Que possamos olhar nos olhos do outro e enxergar com o coração, porque o nosso coração consegue ir onde nossos olhos não chegam. Que também possamos pensar sempre em coisas que nos elevem ao Criador para que a sintonia seja harmoniosa, pois somos o que conseguimos atrair.
Senhor, Abençoe por favor, os corações daqueles que não conseguem compreender, perdoar, sorrir, afagar, amar...
Tenha misericórdia quando a zanga chega primeiro que a compreensão, que a calúnia seja tão pesada na consciência, que quem a pratica precise com urgência livrar-se dela e conte a verdade.
Que possamos dar graças a Deus pelo alimento, ou a falta dele, porque tudo tem um propósito e Tu jamais permitiria algo se não fosse para o bem maior.
Que possamos escutar o canto dos pássaros, ou um choro de dor como uma grandiosa oração a ti.
Que o nosso oxigênio se renove e venha cada vez mais puro, quando suspiramos por algo que não conseguimos completar por já ter feito tudo que podíamos, mas tendo a certeza que daí, Tu vais onde não conseguimos ir.
Durante meus anos de menina de rua, caminhei por calçadas, bancos e botecos nos dias que se faziam sol ou chuva, noite ou dia. Ou procurando ajudar aqueles mais famintos que eu, ou observando as crianças que tinham uma mãezinha que os livravam dos perigos terrenos abaixo de Ti, mas em meu coração havia tanta ternura por eles que parecia que dentro do meu peito brilhava algo, e eu podia enxergar.
Então era fácil esquecer a fome, ou a menina que não sonhava porque precisava ser adulta para se cuidar, e cuidar daqueles que dividiam o pedaço de papelão com ela, ou o lanche que sua voz meio rouca conseguia cantar. Nas ruas nem tudo é tristeza, tínhamos amor uns pelos outros, e aquela faísca de carinho irradiava e doía quando um voltava para casa (para Deus).
Família é um diamante precioso que nem sempre quem a tem de imediato sabe valorizar, mas é onde tudo começa, onde tudo tem base.
Nas ruas o aprendizado é bem maior e mais rápido, mesmo que o Sol aquecesse todos do mesmo jeito sem distinção, haviam aqueles que tinham seus dias mais confortantes e não se apercebiam disso.
Para aquela menina tudo era uma questão de ponto de vista. Ela tinha uma escola a Céu aberto, ali aprendia amar o seu semelhante, e conhecia o coração humano em todos os seus adjetivos absolutamente. Mas muitas águas rolaram desde então. Uma coisa é certa: ela ficou mais agradecida por cada caminho que precisou passar.
Neste ano que chega prometo me permitir ser menos preocupada. Sim eu sou! Talvez seja por ter sido desde muito pequena muito responsável por estar cuidando exageradamente de mim lá atrás. No orfanato exigia-se que a cama fosse impecavelmente arrumada, e para constatar isso jogavam uma bolinha de gude sobre o lençol. Se ela não rolasse, havia o temido milho para os nossos pequeninos joelhos, mas isso ficou lá atrás, e que Deus abençoe aqueles que nos abrigavam. Porque as pessoas têm um jeito de agir que não compreendemos e julgamos, mas todos estamos na mesma escola da vida, para ensinar uns aos outros alguma coisa. Essa é a semente plantada, essa é a tão temida escolha.
Muitas vezes escolhemos plantar sementes que não darão fruto algum, mas se planta assim mesmo. E uma escolha sempre se responde por ela. Jesus nos ensinou o amor, e que lindo é esse amor que Ele veio ensinar. O amor vem mais rápido na dor, porque é uma sustentação do sentimento. É onde você precisa ser verdadeiro e expõe sua essência e mostra sua alma.
Espero sinceramente que este Ano seja do Bem maior, da fraternidade, da benevolência, da amizade entre famílias, do comungar com Deus em primeiro lugar, muitos não se dão conta de que Deus Pai existe não só nos momentos de necessidade, mas em todos eles. Que seja de uma universal corrente do Bem para que a energia se expanda e o mal estreite sua porta, porque a porta larga deve ser só do AMOR. Fazendo coisas boas, o Céu e a Terra serão um só coração.


Texto e imagem:
M. Fernanda

terça-feira, 26 de dezembro de 2017

Um novo começo


Novo começo
Diante da lua e seu crepúsculo uma promessa é feita...
Enquanto caminhava perante o mar e ouvia-o segredar uma “fala” íntima...
Por entre a poesia noturna uma observação feminina: não se deixará adormecer ao som das ondas batendo nos rochedos.

Ela seguia onde todos dormiam tendo a confiança que sua mente caminhava junto àquela magia. E sentia que seus olhos estavam encantados diante daquele quadro de amor.
Compreendia e não se esforçava para ser diferente aquele êxtase, tudo que a fazia muitas vezes distante de olhares presentes, enquanto viajava por terras do nunca, ou via em redoma a rosa do pequeno príncipe. Esses encontros abstratos seus e dos clássicos que jamais lera, e da natureza. Lá tinha uma fé tão firme, e essa firmeza era também um segurar de mãos.

Havia ainda naquela noite uma luz forte que irradiava eternidade, e sabia que naquele mesmo Céu que trouxera a noite, havia um Deus maravilhoso que amava sem questionamentos, com compreensão, benevolência e eternidade.

Por um momento fecha os olhos e sem esperar surge uma explosão e entretons...
Meteoros dividindo-se em meio ao seu olhar perplexo transformando-se em planetas, ali naquela deslumbrante visão ela que era tão tímida sentia-se protegida, cuidada...
Somos seres abençoados, pesou...

Apesar do preço, todas as escolhas e qualquer indignação poderia ser explicada, desculpada.
Diante da cumplicidade da noite, o pincel apenas desenhava e coloria vidas, risos, inocências, lágrimas e dor. Sob a redoma surgia com forma de pássaros, asas que pairavam no véu do inexplicável como consolo singular.

Ela sabia que assim era o Amor, e nenhum de seus condutos poderiam jamais ser interrompidos.
O que poderia desejar mais? A noite e ela se tornaram unas. Contemplativas e transeuntes...
Já sabia que a manhã logo se faria presente, e dominaria com um belo dia de Sol a arte de ser rei e um presente divino.

A vida? Poderia ser da cor que a sua escolha apreciasse e isso era um fato.
O desagradável da escolha era saber que além da beleza que brota a esperança, havia também a cor opaca do desfalecimento, ou seja, desesperança... Ali eram escolhas cheias de fraquezas, desânimo, e falta de fé onde o que mais predominava era  ira, rancor, maldades que o mundo sabia comungar e repassar diante de temores se deixando levar por escolhas egoístas. Se a guarda for bem protegida e a cabeça bem erguida, o coração sempre estará pronto para aproximar amor e perdão.

Ela deixa uma lágrima rolar e suspira como que estivesse agradecendo por aqueles momentos únicos.
Enquanto a noite fascina, seu sentimento ilumina desejando Amor, Paz, Harmonia, Humildade, Caridade, Bondade, Paciência e Perdão para todos, pois sendo irmãos somos filhos do mesmo Pai.
2018 está suavemente à porta.

E quando ele nascer que seja tão especial,
e venha bem natural com honestidade e beleza,
verdade, alegria e confiança, e que não falte Esperança
deixando sua marca.
Boa noite, noite...
Disse ela atrevida e a noite adormeceu, e o dia respondeu:
Há coisas reservadas para ti.


M. Fernanda

quarta-feira, 20 de dezembro de 2017

Qual o sentido do Natal?



Natal
Em meio à brisa de inverno, a vida “canta” lá fora sem esforço algum.
E mergulho numa viagem silenciosa em meu interior, refletindo nos propósitos deste e de todos os Natais.
O que tenho em mente é um sentimento que rompe a escuridão que muitas vezes nos deixa cegos.
Há um aniversariante, há luz, amor, bússola viva que veio conduzir cada ser humano em sua direção. Há um respeito de escolhas chamado livre arbítrio... Ele (o CRIADOR) não nos força a absolutamente nada, mas torce muito que essa nossa escolha seja a certa.
Penso... e quando não escolhemos certo? Ou quando nossas escolhas machucam a nós e a outros?
Ele nos deu todas as dicas para o bem, para o amor, mas somos humanos e cheios de falhas. Quando isso acontece é claro que haverá consequências, e estas consequências precisam ser reparadas, e precisamos saber aceitar esse reparo.
Quando nossos filhos nascem procuramos lhes ensinar sempre o que é certo, o que será melhor para eles, porque os amamos não é? E por esse amor procuramos encaminhá-los na vida sabendo que mesmo com os nossos ensinamentos eles irão tropeçar, cair e levantar. Um dia eles terão que seguir fazendo suas próprias escolhas. Eles irão ter suas falhas como nós tivemos as nossas, mas com uma base eles errarão menos.
A vida é cheia de surpresas e aprendizados. Nós? Apenas estaremos na arquibancada da vida torcendo com nossas orações e conselhos, que quase nunca serão seguidos, porque eles têm seu próprio caminho a trilhar. Mas estaremos aqui, ou em qualquer lugar, torcendo por eles com amor e carinho.
Logo, podemos ter a certeza que Deus amoroso e Pai de todos faz infinitamente o dobro por nós que somos seus filhos e sua imagem e semelhança. O Natal tornou-se cada ano que passa um consumismo exagerado. A base que é o aniversariante quase está sendo esquecida. As pessoas se enfeitam para elas e para os outros, menos para Cristo.
Mas onde está o verdadeiro sentido do Natal? Está apenas onde o amor se faz necessário.
Nas famílias que não esqueceram a base. Nos orfanatos, nos hospitais, nos abrigos de idosos, nas calçadas, e nos lares que nutrem em seu coração o amor, e sentindo amor, olham os seus semelhantes como a ele mesmo.
O que percebo em maior quantidade são as festas que são cada vez maiores, luxuosas e fúteis. Alguns, não generalizando, estão para uma eterna competição, ou exibição, e esqueceram do verdadeiro sentido do que seja o Natal, e o Natal é o ano inteiro. Jesus renasce todos os dias nos corações que acham esse renascer num ato de amor, de carinho, humildade, caridade.
Que sejamos capazes de enxergar o que irá nos machucar e a dor que isso causa, para que não machuquemos o outro, que sejamos capazes de enxergar nossas fraquezas, nossa maneira de nos fortalecer contra o mal, e ter coragem de escolher o melhor por nós para dar ao outro também o melhor.
Que possamos olhar o diferente com a humildade que nos ensinou Jesus, e perceber o que cada um deles significa, ou significará nas nossas vidas, principalmente quando não sentimos que há uma afinidade.
Senhor Jesus, você veio e revolucionou tudo, mostrou o caminho para a VIDA com sabedoria, mudou a forma de cada ser, nos fez refletir, nos fez aceitar a busca por algo melhor.
Mudou a maneira do Universo.
Ainda precisamos entender o que o Natal representa? Precisamos.
Porque o AMOR e sua luz guia-nos todos os dias pelo coração.

Feliz Natal.
Texto: M. Fernanda
Imagem: Google

domingo, 17 de dezembro de 2017

Em casa...




Corre o dia entre pensamentos,
as flores abarcam o jardim numa beleza gentil.
É como se o dia fosse cheio de surpresas, e isso tivesse sido esperado para acontecer.
Há coisas que se ocultam em cada canto do peito, e muitas vezes a alegria não é sentida.
Talvez porque a ocasião voasse ou a saída estivesse fechada.
No entanto talvez , acima do Céu cada ato de amor durante esse mesmo dia, tenha sido experimentado com sabedoria.
A sensação? É de promessa cumprida.
Aquela voz interior que fala baixinho e cá dentro sentimos
que fomos abençoados.
Em casa reflito e penso: É Fernanda,
o lar é onde a Luz brilha mais forte...
E tem uma força preciosa que sempre nos acolhe.


M. Fernanda
Imagem: Minha

sexta-feira, 15 de dezembro de 2017

Há um azul



Há um azul por entre a neblina,
um nuance de tinta e magia.
O Céu nublou, o Sol não brilhou e a tarde pediu colo
para quem dele necessitava.
Os brilhos das estrelas não ficaram presentes,
e a ave voou trazendo em seu bico
um resquício do inverno.
No horizonte uma saudade, mas também uma esperança.
Então tudo é possível como o Céu é azul.
O sopro da brisa me diz que o eterno
não é só uma marca num mapa,
e isso eu já sabia...


Texto e imagem:
M. Fernanda