Maria Fernanda

Quero brindar a arte, ao poeta, ao amor. Se fosse uma pintora, pintaria o sorriso do mundo em plena harmonia, a beleza das ondas do mar abraçando vivências, maestro de música delicada e forte, depende do jeito que se escuta. Olhar a grande tela da vida e constatar o surreal, que é essa beleza real que agraciados fomos em ter. Grito a liberdade de abrir mundos, lugares, pessoas, e nessa mesma liberdade brilha o sol, fica azul o céu e o mar. Esse oceano beleza que gera, que move, que traz e que leva. Me segura com seu jeito corajoso em teus braços, me pega de um jeito que a alegria se encaixe. Quero minha vontade de sentir essa audácia e jogar pra fora no teu ritmo, nas tuas asas, meu brinde. Obrigada a cada um que faz comigo a poesia mais linda desse mundo. A poesia da a m i z a d e! ♥ PS: Um brinde com suco de uva. ✿Maria Fernanda✿

o amor é um elo

quarta-feira, 28 de junho de 2017

O amor recarrega meu coração






O telefone chama insistentemente,
Apenas escuto tocar.
Queria atender mas sei que lá do outro lado
Há algo que por hoje não vale apena.
Talvez seja um daqueles dias em que...
o tempo voa lento dentro do cansaço,
e esta é apenas uma data...
Caminho tentando sorver a beleza
que acredito ainda fluir nas pessoas.
Alguns estão no acordo mútuo de serem felizes,
outros sem resquício de alegria.
A bola corre aleatoriamente,
hoje não a chamarei de Terra.
Ela parece estar replena de egoísmo
e vazia de amor.
Me prometi não insistir,
apenas pensei conhecer a estrada
e as palavras que saem avulsas
com liberdade e muita prudência.
O fone preso ao ouvido,
uma música suave ao fundo
(Moonlight Sonata - Beethoven).
Não faço gênero, gosto muito da música.
Essa canção me transporta, e a alma descansa.
O sentimento é algo como um grito no meio do peito
batendo ativo para sobreviver.
Eu disse que é difícil tomar decisões quando elas nos levam além do que conseguimos ir.
Amo escrever, mas ando meio receosa quanto a tecer palavras.
Parece que elas intimidam as pontas de meus dedos porque me conhecem tão bem na essência.
Esse momento em mim é transeunte.
Sou mais amor que lassidão.
Agora é apenas uma tarde morna,
uma brisa forte e minha reação.
Um abrigo talvez seja o cheiro da sua ausência
que gerou toda essa tempestade interna.
Esse contato inteiro, essa maneira de ir por dentro me oferece um conforto que só Deus consegue entender.
Eu queria muito ser como me pedem,
ser essa mistura mais de terra que de céu.
Comigo não funciona assim,
gosto de correr pro mar quando preciso entender metáforas,
e de olhar as nuvens em liberdade enquanto meus olhos
apenas seguem como se eu inteira estivesse neles.
Como fazer com o que vivi seja um sonho curto,
se neles me realizei inteira?
Só ele soube ser tão lindo me mantendo aquecida até nos sonhos.
Nosso tempo é diferente sim,
diferente como a criança que caminhou na dificuldade
emanando compreensão e inocência,
onde a chuva fazia encontro com as lágrimas
formando tempestade.
Quando você vive na maior parte do tempo
acostumada com esse tempo,
outras histórias já não nos cabe,
como indumentos no armário.
Sei bem como interpretam meu modo de ser,
mas como já citei, não sei ser de outra forma.
Gosto de sinceridade, fala mansa e docilidade.
Sou uma garota que demonstra o que sente.
Alguns julgam da maneira errada esse sentir.
Mas o amor para mim é o um sol, uma saída.
Ele recarrega meu coração e me faz perceber
que o cansaço existe para ele combater sempre.
______-
M. Fernanda


18 comentários:

  1. Nanda, sempre lindas e tão tocantes tuas palavras! beijos,tudo de bom e amanhã teus céus estarão lá! chica

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Chica tu sempre tão amiga e tão querida.Que honra querida, muito obrigada! Estarei lá.
      Beijão

      Excluir
  2. Olá Nanda,
    Me identifico tanto com sua escrita. Talvez seja por você expressar essa transparência e sinceridade sobre oque sente.
    No momento me encontro naquela fase em que folhas são amaçadas ou o backspace é clicado na mesma quantidade das letras. Chato isso neh?
    Parabéns ganhou um leitor e um fã (risos)

    Abraço.

    Wellington Maia

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Wellington,
      que bom amigo.
      Essa "fase" passa pode apostar.
      Obrigada fico honrada.

      Beijinho

      Excluir
  3. Fantástico. Adorei!

    r: É muito simples de se fazer :)

    Beijinhos*

    ResponderExcluir
  4. Obrigada Francisco🙏🏻
    Para ti seja igual.
    Beijinho 😘

    ResponderExcluir
  5. Oi Fernanda, bt!
    Achei o post lindo, vc realmente sabe se fazer entender. Parabéns!
    Bjsssss

    ResponderExcluir
  6. É uma prosa poética encantadora por ser tão verdadeira, tocante e que cada um de nós sente-se assim um dia pelo menos! Ou muitos.
    Tua maneira de escrever, de contar, é muito linda, sem rodeios, mas tudo dito docemente. Com delicadeza.
    Beijo, querida Fernanda.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Tais querida,
      Obrigada pelo belo comentário que aqui teceu.


      Um beijinho

      Excluir
  7. Oi, Fê!

    Lindo, lindo!... Fiquei sem palavras... É tanto amor, realmente as palavras te entregam... revelam sua doçura, o sol que carregas em teu peito e nos aquece!...
    Também gosto da música mencionada... e mais ainda: de como consegue colocar tantos sentimentos belos em um texto que dá uma vontade de ler sem pausas!

    Beijos! =)

    OBS: obrigada pelo carinho em minha ausência...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obaaa! Você voltou!
      Puxa você faz muita falta Nadine
      some mais não!
      Ahh obrigada querida, mas o sentimento
      Sai tão forte de minha essência .
      O mérito é do sentir, ele tem os direitos
      autorais no glamour rss.
      O carinho dai e daqui se abraçam fraternalmente.

      Obrigada menina.
      Beijinho

      Excluir
  8. Boa noite Fernanda
    Que lindo poetar.Você escreve com tanto sentimento que nós prende do começo ao fim. Uma linda sexta-feira e final de semana. Beijos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Mirtes querida
      Eu agradeço o carinho de suas palavras.
      Nunca esqueça: que o amor cura onde não podemos ir. Ele é a única coisa que importa.
      Ele impulsiona para onde devemos ir ou seguir.

      Beijinho e tudo de bom

      Excluir

Tenho olhado o tempo...
Quando estou tomando um café, ou na varanda.
Quando estou mergulhada nos livros, ou no trabalho.
Ele me diz: Paciência Fernanda.
Sim tempo, eu tenho paciência...

Fernanda Marinho