Maria Fernanda

“Como os oceanos tinham níveis muito baixos de água, era possível caminhar do sul da Inglaterra até a França, e continuar andando. Se não fosse impedido por outros humanos, até chegar a Java”. (livro: Uma breve história do mundo). Então fico imaginando como há coisas a aprender na geografia de nossa história. Esse é um planeta que ainda retém riquezas que não se pode avaliar. Cada leitura vem repleta de abastanças... Repensar na crueldade do homem com tudo isso é o caos. Cada um fazendo a sua parte era utopia demais, e o quadro ficou exposto sem cuidado e a paisagem começa a borrar nas laterais, meio e... Fim? Eu suponho que até os primórdios já viviam a saga. Caminho em alerta. Descrever a fundo teria que exigir experiência. Tornasse nômade por descobertas. Amo o planeta, isso eu bem sei dizer. E cada dia vale o investimento porque pouco oferecimento não me move. ✿Maria Fernanda✿

o amor é um elo

quarta-feira, 24 de agosto de 2016

Teria sido o Batom?


 
 
Engraçado, não sou muito de me olhar em espelho.
Mas hoje fiz isso e passei um batom.
Parece até que havia feito algo espetacular em mim.
Sr. Simão porteiro do prédio, deu-me uma flor.
Agradeci.

Na rua um rapaz perguntou: posso carregar teus livros?
Agradeci fiz gesto que não e segui.
Na padaria o cafezinho ficou de graça, mesmo eu fazendo tudo para pagar.
- Meu Deus do céu o que está acontecendo hoje? Falei para seu Quin, o dono da padaria.
Ele- delicadeza compra delicadeza menina.

Fui trabalhar havia uma rosa vermelha em cima da minha mesa, sabem de quem?
Dos colegas de traballho.
Achei tão bonitinho...

Na volta para casa, meu pai me buscou e levou um saco de pipocas.
Ai, eu adoro pipocas!
Também chocolate, morango congelados, sorvetes, e empada.
Não, não, ele não me trouxe isso tudo!
Apenas a pipoca, o resto são coisas que eu também gosto de comer.

Mais tarde fomos a pé à padaria meu pai e eu.
E no caminho era tal de oi Fernanda e eu oi.
Assim foi na ida e na volta.

Paizinho me disse: filha como conhece todas aquelas pessoas?
-Do ponto de ônibus, do café na padaria e de ir comprar pão.
Ele - tua alma é muito bela meu anjo.
Fiquei vermelha rsrsrs
-Aprendi a ser assim pai.

Mas tome cuidado filha!
-Por quê Paizinho?
Por nada Fernanda, deixa pra lá, é apenas meu jeito de te proteger.
-Ah ta!
-Obrigada pai.
Por nada filha.

Fiquei pensando.
Teria sido o batom?


Maria Fernanda
Imagem: Minha

5 comentários:

  1. Tua aura é que atrai o bom! Lindo te ler! bjs, chica

    ResponderExcluir
  2. Oi Fernanda
    Muito obrigada, pela visita e comentário delicado deixado no bloguinho.
    É um prazer te reencontrar.
    Certamente todos estes pequenos gestos de carinho são uma resposta, uma retribuição do seu modo de conviver e lidar com as pessoas.
    Beijo, querida.

    ResponderExcluir
  3. Oi Fernandinha, com certeza não foi o batom, que apenas realça sua beleza externa. Mas foi sim sua maneira de ver a vida, ver o mundo à sua volta. Seu olhar de cativar almas perfumadas.
    Quando estamos neste missão de faze por nós tudo para sermos melhores, estas coisas acontecem.

    Uma semana linda para voce.
    Bjs de paz amiga querida.
    Depois se veja lá no mineirinho.
    Inté mais amiga.

    ResponderExcluir
  4. Menina linda e iluminada!
    Muito temos a aprender contigo.
    Linda tua narrativa.
    Um excelente fim de semana.
    abração com carinho

    ResponderExcluir

Tenho olhado o tempo...
Quando estou tomando um café, ou na varanda.
Quando estou mergulhada nos livros, ou no trabalho.
Ele me diz: Paciência Fernanda.
Sim tempo, eu tenho paciência...

Fernanda Marinho