Amor sempre....

Amor sempre....
Caminho entre flores. O chão continuará pra nós com outras paisagens. Sou o que sou, porque é tudo que sei ser. E todo meu olhar escrito que você nunca aprendeu a ler, permanecerá no descaso para quem não compreende.

quarta-feira, 22 de fevereiro de 2017

Ilusões







Um toque,
um olhar vagueava absorto.
A canção clássica principiava beleza,
amortecendo voos de asas insonháveis.
Quimeras talvez.
Notas suaves se faziam soar pelo ambiente,
e um coração machucado tocando em nadas.
Lágrimas caindo por sobre as ilusões de quem vive.




Maria Fernanda
.ﮨﯝﮨჱﮨﯝﮨ.:ﮨﯝﮨჱﮨﯝﮨ.:ﮨﯝﮨჱﮨﯝﮨ.:

6 comentários:

  1. Tristes e tão lindos versos,Nanda! bjs, chica

    ResponderExcluir
  2. Bom dia, excelente criação poética com notas suaves, no futuro, serão com notas intensas.
    AG

    ResponderExcluir
  3. Boa tarde, Fernanda
    Gostei demais dos seus versos e da sua gentil visitinha.
    Seja bem vinda!
    Um forte abraço de
    Verena e Bichinhos.

    ResponderExcluir
  4. Espero que as lágrimas sequem e os sorriso voltem.

    ResponderExcluir
  5. Cara amiga Fernanda, enquanto leio os versos deste poema, me vejo numa sala de concertos onde tocam "Fur Elise" de Beethoven.
    Um abraço. Tenhas uma boa noite.

    ResponderExcluir
  6. As ilusões s-ão muito boas, mas só enquanto duram...
    Magnífico poema, gostei imenso.
    Bom fim de semana, amiga Fernanda.
    Beijo.

    ResponderExcluir

Tenho olhado o tempo...
Quando estou tomando um café, ou na varanda.
Quando estou mergulhada nos livros, ou no trabalho.
Ele me diz: Paciência Fernanda.
Sim tempo, eu tenho paciência...

Fernanda Marinho
Ah posso pedir para me conhecer melhor?
Então vem aqui ó!

https://linguagem-miuda.blogspot.com.br/